Entenda como adaptar a sua instituição ao ensino bilíngue

É cada vez mais comum que pais e responsáveis decidam colocar os seus filhos em escolas bilíngues a fim de que eles saibam se comunicar em outro idioma desde cedo. Por essa razão, instituições com esse perfil estão sendo muito procuradas e contam com um diferencial entre as demais escolas da região.

O bilinguismo é mais do que o conhecimento de um segundo idioma. É, também, a habilidade de se comunicar, compreender, ler e escrever sem dificuldades em uma língua que não seja o seu idioma nativo.

Uma escola bilíngue apresenta diversos benefícios para os estudantes, como o domínio de uma segunda língua, um maior desenvolvimento cognitivo para as crianças, o aumento da concentração e do raciocínio lógico, assim como melhorias em habilidades que estão associadas à escrita, à fala e à leitura.

Como adaptar a sua instituição ao ensino bilíngue

As escolas bilíngues são as instituições que não apenas ensinam um segundo idioma, mas que trabalham essa outra língua junto com o idioma materno e com o currículo brasileiro. Seu diferencial é ensinar os conteúdos tradicionais por meio do outro idioma.

Diferentemente dos cursos de idiomas, o ensino bilíngue proporciona uma rica vivência com base no idioma que será ensinado, já que os estudantes precisarão praticá-lo com mais frequência do que em uma escola de idioma.

Faça a adaptação do currículo para o ensino de ambas as línguas

O principal passo é realizar a adaptação do currículo, isto é, passar a ensinar o conteúdo proposto pelo MEC em dois idiomas. Há escolas bilíngues que proporcionam aulas de cada disciplina em ambos os idiomas utilizados pela escola, de modo que as diferentes aulas se complementem e apresentem matérias diferentes.

De acordo com os dados divulgados pela OEBI– Organização das Escolas Bilíngues de São Paulo –, ser bilíngue é utilizar diferentes proporções de tempo para o ensino da segunda língua em cada faixa etária. Na Educação Infantil, 75% da carga horária, no mínimo, deve ser no segundo idioma. No Ensino Fundamental I, deve ser de um terço e no Ensino Fundamental II e Ensino Médio, um quarto. O restante do tempo é completado com o ensino na Língua Portuguesa.

Utilize a tecnologia para trabalhar a segunda língua

A tecnologia é uma ferramenta essencial para ensinar sobre qualquer assunto. No caso do ensino bilíngue, é possível utilizá-la para que as crianças consigam se envolver com a nova língua de um modo prático e de acordo com as habilidades da geração dos nativos digitais. Para isso, uma maneira é possibilitar o uso de aplicativos que utilizem o segundo idioma.

Faça uso da segunda língua nos ambientes da escola

O segundo idioma não deve ficar apenas dentro da sala de aula. Para que a assimilação dos estudantes seja melhor, a equipe pedagógica pode aplicar cartazes pelos corredores e demais ambientes da instituição com palavras em outras línguas, como dicas de uso de uma determinada expressão e frases comuns para ambos os idiomas.

Trabalhe com professores que dominam as duas línguas

Construir um corpo docente que esteja de acordo com a proposta bilíngue da escola é importante para transferir esse conhecimento para os alunos. Por isso, o gestor precisa selecionar professores e outros funcionários que dominem tanto a Língua Portuguesa quanto a segunda língua que a escola irá trabalhar.

Além disso, se eles tiverem uma experiência de vivência em outros países é um diferencial, já que poderão passar esse conhecimento de mundo para os alunos.

Proporcione atividades lúdicas

Através das atividades lúdicas é possível que os estudantes aprendam com mais empenho e sejam capazes de compreender melhor uma nova língua, além de não perceberem que estão estudando em meio a brincadeira. Existem diversos jogos que abordam o vocabulário e as regras da Língua Inglesa, possibilitando que os alunos aprendam brincando.

Evite que os alunos aprendam apenas decorando

Diversas escolas de idiomas utilizam um método de ensino baseado em apenas decorar o idioma a ser aprendido. Para possibilitar que os alunos realmente aprendam as regras de outra língua, é preciso que eles compreendam a fundo como se comunicar utilizando outro idioma e saibam reconhecer a complexidade do mesmo, assim como fizeram para aprender sua língua materna.

Você já pensou em adaptar o ensino de sua escola para o bilinguismo? Conte para nós a sua opinião sobre o assunto!

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *