É possível aplicar estratégia de e-mail marketing em seu curso ou escola?

O e-mail marketing é uma das ferramentas que mais tem chamado a atenção no universo do marketing digital e que tem trazido resultados bastante positivos para diversos modelos de negócio.

Sua utilização ainda divide opiniões, não podemos negar, no entanto desde pequenos empreendimentos, aos maiores estão apostando em sua utilização como forma de obter resultados eficientes, maior visibilidade e uma comunicação assertiva com seu público alvo.

A Sponte acredite que o e-mail marketing é sim uma das ferramentas atuais mais poderosas que existem e por isso, queremos te ajudar a implementar sua utilização com estratégias básicas e simples.

Os benefícios são inúmeros, porém boa parte de escolas e instituições de ensinam a utilizam como a intenção de captar novos alunos e manter um canal de comunicação aberto entre ambas as partes.

É claro que cada local precisará avaliar e adaptar o que vamos abordar aqui para uma forma que se encaixa melhor com o seu perfil de público, mas pode aplicar sem medo que, feito da forma correta, elas vão funcionar!

O importante é sempre se lembrar que o e-mail marketing é um canal de comunicação, logo se você trabalha com assuntos interessantes, haverá um retorno positivo. Porém, se o que for abordado ali não for de interesse dos leitores, nada dará certo, compreende?

Separamos então algumas dicas que podem ser aplicadas e que costumam dar certo em, praticamente, todos os casos!

Confira!

 

1º Passo – Utilize sempre o nome do aluno

Muitas estratégias de e-mail marketing acabam pecando por não iniciar com uma regra simples: chamar o aluno pelo nome.

Sabemos muito bem que o e-mail marketing é enviado através de plataformas otimizadas e sempre em larga escala. No entanto, essas próprias plataformas permitem que você nomeie o conteúdo pelo nome cadastrado dos contatos.

Isso é feito de forma automática e você não irá perder nenhum minuto para ajustar isso, porém seus resultados passarão a ser bem mais expressivos.

Quando você chama o aluno pelo nome, a impressão passada é que você está enviando aquele conteúdo, exclusivamente, para ela. Fica então, a sensação de atenção e com isso, um vínculo passa a ser criado.

Não se esqueça disso!

2º passo – Dê dicas, realmente relevantes!

Nossa caixa de entrada é bombardeada por milhares de e-mails todos os dias. Sendo assim, o que fazemos é selecionar com precisão quais são aqueles que são realmente importantes, e quais são os spam, que só estão ali para fazer propaganda.

Nesse ponto, você já dá a largada com algumas vantagens: normalmente, por ser um e-mail da instituição de ensino do aluno, o mesmo ou seus pais, já julgam ser algo importantes, logo abrem.

Não despedisse essa oportunidade de comunicação enviando assuntos de propaganda ou poucos relevantes.

Aproveite o espaço para divulgar atividades, convocar para reuniões, informar sobre matriculas ou qualquer outro assunto que seja, realmente, interessante para o destinaria.

Uma prática bacana é por exemplo, enviar oportunidades de trabalho, vagas disponíveis ou eventos na área.

 

3º Passo – Coloque-se como um canal de ajuda

Aproveitando o espaço aberto que o e-mail marketing já conquistou com os alunos e os pais de alunos, use o espaço como um forma de diálogo aberto. Então, coloque-se a disposição para ouvir dúvidas, críticas ou sugestões.

Por ali, dê dicas de livros de leitura ou até filmes para que toda a comunidade escolar esteja por dentro de problemas como, como o bullyng, por exemplo.

Existem assuntos que precisam ser discutidos não apenas com os alunos em sala de aula. É necessário trazer pais e responsáveis para dentro da escola para que o trabalho seja em conjunto.

Por vezes, os pais notam que seus filhos tem uma mudança de comportamento, mas o dia a dia corrido, acaba não dando a oportunidade de ir até a diretoria da escola, sendo assim, muitos acabam deixando passar e só vão buscar ajuda quando já se transformou em algo maior.

O e-mail pode ser um facilitador dessa comunicação. Vamos supor que você planejou uma campanha de e-mail marketing e através dela, um pai relatou um problema.

O corpo docente pode entrar em contato com esse pai, chamando-o para uma conversa e com isso, entender melhor o que está se passando!

 

4º Passo – Use uma linguagem que todos entendam

Campanhas de e-mail marketing precisam apresentar uma linguagem em que todos entendem, pois só assim será possível alinhar os interesses de pais, alunos e educadores.

Por exemplo, se você tem uma escola de línguas ou um ensino bilíngue, não adianta mandar campanhas de e-mail marketing em outras línguas, afinal um pai que coloca seu filho para esse aprendizado, não necessária domina, concorda?

Você pode até usar traços para que isso seja abordado, mas não faça um e-mail completamente em inglês, por exemplo, pois isso poderá acabar atrapalhando a comunicação entre vocês.

Opte sempre por uma linguagem universal, mas clara e objetiva. Assim, todos podem compreender o que você tem a dizer sem maiores problemas.

 

5º Passo – Quantidade de envios

Esse sempre será um tópico muito discutido. Uns vão dizer que não devem enviar muito e outros, falaram que devem ser enviados uma quantidade necessária.

Bom, que vai mensurar isso será você!

Não adianta lotar as caixas de mensagem com assuntos pouco importante, no entanto deixar de enviar sinalizações e avisos que para os pais e responsáveis são bacanas é um erro.

Procure dosar de acordo com o retorno que tiver.

 

Curtiu as dicas?

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *