Como escolher os materiais didáticos da sua instituição de ensino?

Como escolher os materiais didáticos da sua instituição de ensino?

Embora a escolha do material didático seja uma tarefa realizada com certa regularidade dentro da instituição, realizar essa tarefa não é exatamente fácil, visto que todo o conteúdo deve estar alinhado com o planejamento de aula dos docentes e com as expectativas dos pais em relação ao que eles esperam do aprendizado de seus filhos ao longo do ano.

Nesse contexto, essa definição pode se tornar bastante desafiadora para muitos gestores e coordenadores. Por isso, a Sponte listou alguns critérios que auxiliarão sua equipe nesse processo. Acompanhe a leitura e confira!

1. Conteúdo alinhado ao projeto pedagógico

Normalmente, o projeto político pedagógico (PPP) de uma escola é feito em conjunto com o corpo docente e apresentado aos pais assim que eles visitam a escola para matricular seu(s) filho(s). Dessa forma, optar um material que esteja alinhado com o projeto pedagógico da sua instituição é imprescindível para atender as expectativas dos pais e dos professores.

Além disso, para garantir que o conteúdo esteja de acordo com as necessidades diárias em sala de aula, é importante que o corpo docente também participe do processo de escolha destes materiais.

2. Conteúdo ajustado ao nível do aluno

Outro fator importante a ser levado em consideração é se o conteúdo está ajustado ao nível do aluno.

Para selecionar um bom material, deve-se levar em conta as necessidades dos estudantes. Assim, a escola deve se atentar a linguagem utilizada nos livros (vocabulário, construção das frases, etc) e verificar se ela está adequada ao nível de compreensão dos alunos daquela série – utilizar, por exemplo, um vocabulário rebuscado com estudantes do ensino fundamental, normalmente, não é uma boa ideia.

3. Conteúdo adaptável

Muitas vezes o nível dos alunos de uma mesma série pode variar de um ano para o outro. Como essa variação é imprevisível, os professores precisam ter jogo de cintura para adaptar as aulas às necessidades dos estudantes e garantir um aprendizado coerente e homogêneo.

Por isso, também é importante que o material didático seja passível de adaptação, conforme as necessidades diárias em sala de aula.

4. Conteúdo que desenvolva a análise crítica

O jovem em fase escolar deve ser estimulado a avaliar e entender as coisas ao seu redor e o ambiente em que está inserido de forma crítica.

O material didático selecionado pela sua instituição deve, portanto, estimular o raciocínio lógico, além de fomentar discussões e opiniões sobre diversos assuntos com o intuito de desenvolver o pensamento crítico dos estudantes.

5. Conteúdo que dialoga com outras formas de aprendizado

Também é necessário levar em consideração que não existe somente uma forma de aprendizado.

Nesse sentido, a escola deve optar por livros que possibilitem que o aprendizado seja complementado de outras formas – com o uso de ferramentas tecnológicas e exercícios práticos, por exemplo.

6. Não ultrapassar o orçamento disponível

Por fim, a escola deve reservar uma verba coerente com a qualidade esperada: bons exemplares requerem um investimento alto, num primeiro momento, mas que garantem um ótimo custo-benefício. Além disso, se atentar à verba que deve ser disponibilizada, bem como não ultrapassa-la, é imprescindível para que não ocorram problemas financeiros para a instituição ao longo do ano.

Na sua escola, quais critérios são levados em conta na hora da escolha do material didático? Já utiliza algum dos que listamos? Conte-nos sua experiência através dos nossos canais de comunicação.

A Sponte trabalha para que sua instituição cresça cada vez mais. Conte sempre com a gente!

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *