A literatura como ferramenta no aprendizado de línguas estrangeiras.

Essa os professores de línguas estrangeiras já sabem: ler é uma forma super eficaz para enriquecer o vocabulário estrangeiro. Tanto que esse conselho é repetido constantemente em sala de aula. O duro, muitas vezes, é convencer os alunos disso, principalmente no Brasil, onde se precisa avançar muito nos índices de leitura.

A internet está aí, com sites de notícias, blogs e páginas com conteúdo para todos os gostos, idades e em vários idiomas. Mas existe uma modalidade de texto que pode acrescentar muito no processo de aprendizagem de uma nova língua: a literatura.

Livros de ficção e sites de notícias, por exemplo, tem níveis diferentes de dificuldades, e por isso os livros podem ser uma experiência desafiadora e enriquecedora ao mesmo tempo. Vamos aprofundar algumas formas de estimular os alunos a se aventurar por essas páginas.

Não existe armadilha maior para o estímulo a leitura do que empurrar títulos goela abaixo. A literatura é um universo imenso, e os alunos precisam buscar obras que sejam do seu interesse. Se aparecerem pedidos de indicação é importante conhecer qual gênero interessa a cada estudante e, claro, o grau de cada aluno ou turma.

Algumas editoras até ajudam nisso. A Editora Penguin Readers, por exemplo, publica clássicos da literatura, em inglês, em diferentes módulos de dificuldade, do Beginner ao Advanced. Algumas dicas também podem ser repassadas ao alunos para ajudá-los a escolher e a degustar uma obra em língua estrangeira.

Um bom começo é procurar autores e livros com o qual já se está familiarizado, pois assim fica mais fácil se habituar ao contexto da obra. Reler livros que já foram lidos na língua nativa é também um curioso exercício de tradução. Quem nunca se perguntou o quão fiel são as versões traduzidas da obra original?

Outro passo interessante é buscar gêneros literários mais simples, ou obras lançadas mais recentemente, pois o gênero de escrita empregado em obras muito antigas pode dar um nó na cabeça e desestimular o hábito, pelo menos nos iniciantes.

Boas aulas, e boas leituras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *