10 Dicas de como lidar com o comportamento em sala de aula

10 dicas: como lidar com o comportamento em sala de aula

Excelência em aprendizagem é meta de toda instituição de Ensino. Para que isso aconteça da melhor forma, obter um bom comportamento da classe é fundamental – embora esse seja um dos maiores desafios encontrados em sala de aula hoje em dia.

Preocupada com a questão escolar em todos as esferas, a Sponte separou 10 dicas de como lidar com o comportamento em classe para que seus professores tenham maior tranquilidade e confiança ao ministrar as aulas. Confira a seguir:

Dica 1 – Estabeleça Regras

O comportamento em sala de aula é uma espécie de contrato e, por isso, se faz necessária a criação de regras para um bom relacionamento entre professor e os alunos durante todo o período letivo. Normalmente, as escolas têm projetos pedagógicos com regras de comportamento pré-estabelecidas e acordadas entre os professores, coordenadores e gestores.

A transmissão dessas regras aos alunos não precisa, necessariamente, vir de uma esfera superior, mas deve ser colocada como um acordo de boa convivência em sala. É importante deixar claro à classe que as regras ali estabelecidas devem ser cumpridas para corresponder às expectativas do professor, figura de maior autoridade em sala.

Uma dica de como potencializar a eficácia desse método, é usá-lo sempre no início do ano letivo, como princípio básico de convivência – que pode (e deve) ser relembrado ao longo do ano conforme o professor achar necessário.  Vale lembrar que o conteúdo dessas regras varia de acordo com o perfil da escola e do público que ela atende – uma escola de Educação Infantil, por exemplo, terá regras bem diferentes de uma escola de Ensino Médio. O imprescindível é que os alunos entendam que há regras e que elas devem ser seguidas sempre.

Dica 2 – Observe

Com regras estabelecidas, fica mais claro para os alunos como eles devem se comportar. Porém, é fundamental que haja observação desse comportamento para que o aluno saiba que precisa corresponder a expectativa de alguém (professor) que o observa. Além disso, observar garante que o professor veja se o aluno está entendendo e correspondendo aos seus comandos. O professor deve buscar indicar aos alunos tarefas, relacionadas ao comportamento, passíveis de serem observadas. Por exemplo, quando é necessária a atenção do aluno, é interessante que o professor peça para que ele faça silêncio e olhe para ele. Dessa forma, o professor consegue observar se o aluno entendeu que é necessário prestar atenção e se está realmente fazendo isso.

Dica 3 – Instrua

Um dos principais motivos de desobediência dos alunos, ao contrário do que muitos pensam, não é desafiar o professor, é simplesmente desconhecer as regras. Alguns podem não ter entendido direito uma orientação, ou não sabem como executá-la ou ainda podem ter se distraído na hora de uma explicação. Por isso, instruções detalhadas e repetidas em diferentes momentos são importantes para manter o bom comportamento em sala.

Dica 4 – Intervenha

Em alguns momentos a intervenção do professor será necessária para garantir que algum comportamento seja corrigido de acordo com o que é esperado do aluno. Nesses casos, a melhor forma de intervenção é aquela geral em que o aluno não é exposto diante do colega, ou, em alguns casos, uma intervenção discreta e pessoal. Por exemplo, quando um aluno não obedece a orientação de resolver um exercício, o professor pode intervir fazendo um comentário geral como “é necessário que todos resolvam o exercício” ou pode caminhar até o aluno e pedir discretamente para que ele faça o exercício. Vale lembrar que a exposição pode causar no aluno um sentimento de que ele está sendo perseguido, por isso, a discrição na hora de chamar à atenção é fundamental.

Dica 5 – Saiba reagir em diferentes situações

Como dito anteriormente há dois principais motivos para que o aluno não tenha um bom comportamento em sala: o desconhecimento e o desafio. No primeiro caso, o dever do professor é ensinar o aluno usando de diversas ferramentas, como a instrução (já mencionada). No segundo caso, é necessário estabelecer uma consequência. Quando o aluno não realiza uma tarefa porque não quer, ele está desafiando a autoridade do professor, nesse caso é necessário que o docente aja de maneira clara e decidida para mostrar que essa não é uma atitude aceitável e não dar margem para que sua autoridade seja questionada. Essa consequência pode ser desde uma intervenção geral ou pessoal, em casos mais brandos, até uma conversa com os pais, em casos mais graves.

Dica 6 – Tenha voz de comando

Voz de comando é um recurso fundamental para o professor garantir um bom comportamento da classe. Use poucas palavras, só fale quando todos estiverem ouvindo, não mude de assunto e não faça outras coisas enquanto está executando um comando e precisa de atenção. Utilizar-se desses recursos é uma ótima forma de manter equilíbrio e calma, além de passar confiança para seus alunos.

Dica 7 – Assuma postura e tom formal quando necessário

Quando o professor fala, ele se utiliza de gestos e expressões faciais para passar sua mensagem.  Busque expressões e tons formais na hora de chamar a atenção ou executar algum comando relativo ao comportamento, é importante que o aluno saiba diferenciar momentos sérios de momentos descontraídos para que ele reaja da maneira certa nos dois casos.

Dica 8 – Reforce positivamente

Diferentes alunos reagem de diferentes formas quando chamados à atenção, embora alguns respondam melhor com consequências, a maioria lida bem com reforço positivo. Usando o reforço positivo, o professor aponta o que o aluno fez certo, ao invés de indicar o que ele fez de errado, incentivando-o a praticar mais boas atitudes e melhorar as ruins.

Dica 9 – Faça de novo

Ao contrário do que se pensa, na maioria dos casos, alunos gostam de refazer atividades para obter melhor rendimento. Incentivar os alunos a realizarem novamente uma tarefa que não foi executada do jeito esperado, mesmo que esteja razoável, é uma boa forma de obter excelência – tanto no comportamento, como na aprendizagem.

Dica 10 – Capriche nos detalhes

O detalhe sempre importa. Se o professor mantém um ambiente organizado, livre de bagunça, ele demonstra esperar o mesmo de seus alunos. Reciprocidade é a palavra-chave nessa relação, quando as expectativas são correspondidas as coisas tendem a caminhar bem.

A Sponte tem consciência que a relação entre professor e aluno é dinâmica e necessita sempre de jogo de cintura do profissional, esperamos que essas dicas contribuam para o melhor aprendizado e bem-estar do aluno e para maior tranquilidade do professor.

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *